História

O objectivo original da Associação foi o de apoiar na educação pré-escolar as crianças das famílias economicamente menos favorecidas.

Entre os vários dirigentes que deram o seu precioso e voluntário contributo à Associação, destacaram-se, pelo especial envolvimento e determinante presença o Sr. António Flores Monteiro de Azevedo (tendo desistido de ser sócio, após o 25 de Abril), o Sr. Dr. José Maria Valente Nogueira, Sra. Dra. Eduarda Casca de Cerqueira Osório, Sr. Dr. Pinto Coelho, Padre Eugénio dos Santos, Srª. D. Maria da Graça Trigoso, Sr. Manuel Borges Pires e Sr. Alberto Freire Veloso Cerqueira Osório.

Determinante foi, ainda, a colaboração dos primeiros funcionários: Rita Carvalhais e Isabel (educadoras), Catarina e Noémia, substituída, de imediato, pela Maria de Fátima Lourenço (Auxiliares), Fernanda e Isabel (cozinheiras), Emiliano e José Prieto (secretaria), José Araújo (jardineiro).

A mais importante história da Instituição é, todavia, a das vidas dos muitos alunos que passaram por esta casa e pelas mãos da determinante colaboração dos seus funcionários e dos muitos amigos generosos com que contou, com especial relevância a benemérita Maria Luísa van Zeller e, mais tarde, o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Sr. Eng. Nuno Cruz Abecassis e o Provedor da Santa Casa da Misericórdia, Sr. Dr. Pedro Pestana de Vasconcelos.

Em 1974, os sócios foram ignorados e a verba existente destinada à construção de uma sede própria, foi desviada para fins desconhecidos.

Em 1979, os destinos da Associação são devolvidos aos seus sócios e, equilibradas as suas finanças, gradualmente e num espírito de expansão constante, deu-se início ao apoio aos idosos – 1º com a valência de Centro de Convívio, depois, com um Centro de Dia e, finalmente, com Serviço de Apoio Domiciliário. Decorridos escassos anos, foi implementada a valência de Creche.

A Associação de Santa Engrácia de Lisboa continua a ser o coração de uma enorme família ainda apaixonada pelo ambiente sereno dos idosos, pelas canções e brincadeiras de cerca de uma centena de crianças que, diariamente, a povoam.